Uma liminar concedida pela 1º Vara Judicial de Hortolândia reconhece Milton Viana como novo presidente do Sindicato dos Servidores de Hortolândia. A liminar também impede que José Bispo da Paz, o Bispo, ex-presidente do Sindicato, atue como se fosse presidente, além de impedi-lo de entrar nas dependências da entidade.

A decisão faz parte de um processo impetrado pelo presidente realocado Milton Viana, que argumentou à justiça que Bispo, mesmo sendo excluído do cargo de vice-presidente da entidade e até mesmo do quadro de sócios, estaria agindo como presidente, já que o cargo de presidente havia sido deixado por Sidnei Antonio Correia, o Maninho.

Bispo foi excluído do cargo após uma sindicância concluir que ele infringiu “gravemente” o estatuto do Sindicato. Três dias antes da exclusão do vice-presidente, o presidente da entidade, Sidnei Antonio Correia, o Maninho, renunciou ao cargo alegando motivações pessoais. Com isso, a diretoria foi realocada e o então secretário geral, Milton Viana, foi eleito presidente pela maioria dos dirigentes. No entanto, a minoria da diretoria, que votou contra a saída de Bispo, está impedindo a atuação do novo presidente eleito, motivo pela qual foi solicitada a intervenção judicial.

O vice-presidente foi excluído por ter omitido da diretoria do sindicato que uma retroescavadeira roubada em junho do ano passado teria ficado em um imóvel do Sindicato. A diretoria ficou sabendo apenas após um ano a partir de uma notificação da justiça.  A caseira que cuida do local teria até sido presa e depois liberada após pagar fiança. Ele teria orientado a caseira dizer no Boletim de Ocorrência que a área era da Associação dos servidores públicos municipais de Hortolândia, ocultando que era do sindicato.

A partir da liminar, a nova diretoria alocada começará a ocupar a entidade. Uma assembleia com todos os sócios deverá ser acionada nos próximos dias para ratificar as novas decisões tomadas pela diretoria.