De acordo com a Prefeitura de Hortolândia, a reforma administrativa, que foi sancionada recentemente, que prevê, dentre outras mudanças, a criação de 15 novos cargos de secretário adjuntos, com salário de R$9.500, extinção de cargos de assistentes executivos, extinção de um Departamento, que cuidava estritamente sobre políticas públicas para mulheres e diminuição no número de secretarias, que passa de 18 para 15 pretende economizar mais de R$ 1 milhão por ano.

De acordo com o prefeito Angelo Perugini na justificativa do projeto, a mudança tem o objetivo de tirar o foco das contratações de pessoal e recolocar como prioridade a realização de investimentos na prestação de serviços à população.


Reorganização

Na nova estrutura, a Prefeitura informou que unificou as secretarias de Cultura e Esporte, as secretarias de Obras e Serviços Urbanos e também juntou as secretarias de Administração e Gestão de Pessoas.

A Secretaria de Chefia de Gabinete foi extinta e será um departamento dentro da Secretaria de Governo. A estrutura administrativa criou a Secretaria de Mobilidade Urbana e a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, além de novos departamentos.

Segundo a Administração, antes da reforma administrativa, poderiam ser contratados até 617 funcionários comissionados, número que caiu para 599. A reforma também criou novos departamentos, que incluem o Departamento de Ciência e Tecnologia (Secretaria de Educação), Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) e o Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres (Secretaria de Governo).